Posts tagged ‘cocô’

volta!

Bom dia amigos que visitam o blog!

Peço desculpas pela longa ausência… mas motivos profissionais me mantêm um pouco afastado das atualizações aqui.

Vamos às novidades sobre o Jorge:

– faz quase 2 meses que não o toso

– ele não faz mais nada (fezes, xixi) dentro de casa, só quando sai para passear

– aprendeu (estamos no processo) de ficar sozinho

– a cada dia está mais carinhoso

– tem dormido muito e seu brinquedo favorito é mordiscar a minha mão e uma bola de meias velhas

– tem aprendido a pedir as coisas que quer, usando a patinha ou correndo

– continua obediente, mas é só virar pro lado que ele apronta

– quando ouve a minha voz fica maluco me procurando

– sabe brincar de esconde-esconde

– completou 10 meses no dia 1º de julho

– está com praticamente 40 cm de altura e 10 kgs

– Papai adora me fotografar de perfil!

20 julho, 2008 at 4:43 pm 4 comentários

compromissos!

Jorge evoluiu muito. Junto com isso, dezenas de outras mudanças ocorreram.

A minha rotina principalmente. Essa foi a maior alteração sentida.

Antes eu era um cara de 26 anos, com poucos compromissos e quase nenhuma responsabilidade. Hoje sou “pai” e tenho obrigações, deveres, tarefas, algumas incomodações e muitas, mas muitas… alegrias.

Tudo começa assim que acordo, que preciso alimentá-lo e descer para o passeio matinal. Depois pensar onde vou deixá-lo durante o dia. As vezes o deixo em casa, com uma amiga que fica algumas vezes com ele, outras, tenho que levá-lo até a casa da “vó”. É um trabalhão, mas não consigo deixá-lo sozinho em casa.

Esse é um problema. Se ele fica, chora MUITO e depois o prédio inteiro reclama. Para ficar na “vó”, preciso da disposição dela e de não ter visitas lá. Então encontrei uma solução alternativa: uma creche.

Uma Pet Shop no meio do caminho entre minha casa e o trabalho. Ainda não o deixei lá, mas já fiz a “matrícula” e espero testar essa semana. É um gasto a mais, porém, acredito que a economia de gasolina e de tempo compensem. Além do fato de ele ter mais contato com outros cães e poder socializar melhor.

Assim que o pego (ou chego em casa), a repito a rotina matutina, de dar comida e o passeio. Daí vem as brincadeiras, a educação (estou introduzindo novos truques de adestramento) e principalmente… o descanso.

É hora de levá-lo pra caminha, de dar carinho, de ficar deitado junto, de mexer e encher o saco dele =)

Daí durmo e tudo se repete as 7h da manhã.

Fins de semana? Precisam ser planejados e elaborados. E incluem a limpeza da casa, o banho dele, o mercado, os amigos, a pouca vida social que me resta. Ou… apenas dormir, porque a semana tem sido exaustiva.

E assim seguimos… Felizes? Sem dúvida alguma.

– Papai, tô cansado! Só mais 5 minutos, pu favô!

10 junho, 2008 at 9:07 pm 3 comentários

frio!

Jorge conheceu o frio esse ano.

Ele nasceu praticamente na primavera (setembro do ano passado), então o inverno – com temperaturas baixas e vento sul gelado – só foi sentir esse ano.

No começo, há cerca de um mês atrás mais ou menos, eu já notava mudanças no seu comportamento. Faz tempo que ele não deita no piso frio do chão, prefere lugares altos ou acolchoados. Uma outra mudança também foi o seu horário de comer, uma mudança sutil, passou das 7:00h para 7:30h ou um pouco mais tarde.

Agora tenho feito ele aproveitar mais o sol matutino e, de vez em quando, estendo os passeio quando o vento não está gelado ou o dia está bonito lá fora.

Claro que esse horário é controlado por mim, mas ele já não acorda tão eufórico para comer e sair como antes. É como se seu organismo estive mais lento, aos poucos reservando energia (porque notei que sua soneca durante o dia está mais intensa, sem despertares freqüentes).

No primeiro dia de frio mesmo que fez aqui, há cerca de 15 dias, Jorge passou mal e vomitou a ração logo de manhã. Não atribuo o mal estar a nenhum outro fator, apenas ao frio mesmo.

Durante os passeios suas orelhinhas ficam geladinhas e o focinho também. Vou providenciar algumas roupinhas para ele, nem que seja para usar somente no passeio da noite ou em dias que a temperatura está muito baixa.

Porém o que ele tem preferido é voltar para casa e ficar aninhadinho no puff dele.

– Papai, tô frio!

12 maio, 2008 at 9:35 am 11 comentários

florais!

Jorge já tomou florais e foi ótimo.

No começo, quando saíamos de carro logo quando ele chegou aqui, tomava Rescue diluído na água antes e durante o passeio. Rescue sempre é ótimo para acalmá-lo, ou bem no início, quando ia para a Pet Shop e ficava estressado.

Depois de um mês mais ou menos, demos um pouco de Crab Apple. Ele tinha uma certa dificuldade em se acostumar com a rotina de descer e subir para fazer as necessidades e também foi muito útil para ajudar a se livrar da mania de se coçar sem motivo (apesar de ainda fazer isso de vez em quando).

Por fim, o último que administrei foi o Clematis, indicado para o tédio e desobediência em geral (falta de atenção também).

Toda a experiência com florais foi muito boa. Ele nunca reagiu de forma incoerente ao indicado e respondeu bem ao tratamento.

Mas afinal o que são florais? R: Criados por um médico inglês nos anos 30, os Florais de Bach são 38 essências de plantas e florais que podem ajudá-lo a administrar as pressões emocionais do dia-a-dia. Cada floral é indicado a uma emoção específica. Pode ser tomado individualmente ou misturado de acordo com o que estiver sentindo.

Qual tratamento indicado? R: O tratamento com Florais para animais não é um método usado para substituir medicamentos ou tratamentos, é um coadjuvante para auxiliar o cãozinho a superar problemas diversos, em geral ocasionados por comportamento. Procure na sua cidade um terapeuta floral sério e pesquise muito. Jorge foi auxiliado por uma amiga minha Naturóloga (oi Dani!!! Beijo!!!) e com base na minha extensa pesquisa na internet.

Onde compro? R: Consulte um terapeuta floral ou profissional com especialização em essências florais. Posteriormente, envie a sua receita numa farmácia homeopática ou de manipulação.

Atenção: na hora de pedir o floral na farmácia, indique o uso para animais e peça para seguir a seguinte recomendação: Frasco âmbar com conta-gotas esterilizado (30 ml – é padronizado); Cânula de vidro; Água pura da fonte (mineral) – nunca usar água destilada (água morta), ozonizada, gasosa ou água clorada e as essências.

O floral para animais não usa conservantes. Para os animais, no vidrinho, só vão as essências e a água (para os humanos vai um pouco, 30%, de conhaque de uvas, para conservação).

Por tanto, atenção, indique o uso e observe os prazos de validade, que são mais curtos que os dos Florais para humanos.

Observe bem a farmácia que vai mandar manipular o Floral. Importante ter certeza da idoneidade da empresa e se ela utiliza os materiais adequados.

Como administrar? R: Pode ser quatro gotas quatro vezes ao dia ou a critério do terapeuta, ou ainda na Água de beber, misturda na ração, via oral, com um borrifador, usando compressas para ferimentos abertos, no soro fisiológico para os olhos, na água do banho e também esfregar nos coxins plantares (almofadinhas) e na parte interna das orelhas se o animal estiver inconsciente.

Para saber mais sobre Florais, leia este artigo na Wikipédia.
Pesquise informações neste site super útil: Florais e Cia.
Ou ainda no site da distribuidora oficial dos Florais de Bach no Brasil.

Obs: há outros tipos de florais, como os mineiros, os californianos e entre outros.
Os que usei foram os de Bach, mas cada caso é um caso.

As fontes usadas neste post são as citadas nos links acima.

Pesquise informações e trate seu animal como ele merece:
com amor, carinho, dedicação e respeito!

7 maio, 2008 at 11:50 am 3 comentários

carro!

Jorge AMA andar de carro!240220081386.jpg

Na primeira vez que ele andou comigo (quando fui buscá-lo para morar aqui em casa) ele fez xixi assim que entrou no carro. Eu havia colocado uma manta onde iria carregá-lo, o que amenizou os danos. Porém logo que cheguei em casa lavei o estofado e passei Enzimac.

Nas vezes que se seguiram… ele sempre foi beeeeem tranqüilo. Como meu carro tem 4 portas, assim que chego na garagem, abro a porta de trás e ele pula para dentro. Engato a guia (a parte que eu seguro) no cinto de segurança traseiro, abro um pouco os vidros e começa o passeio.

Ele sempre se comporta muito bem. Não late, não passa mal, não faz nem xixi nem cocô dentro do carro. Claro que antes de embarcar, dou uma voltinha com ele para ele fazer suas necessidades e não ficar apurado o resto da viagem.

Sempre faço passeios curtos, normalmente para levá-lo à Pet ou ir ao mercado, mas têm dias que passo o dia inteiro na rua e ele sempre me acompanha, descendo e subindo do carro numa boa.

Nunca deixo ele ir no banco da frente, ou no meu colo, ou solto pelo carro. Somente quando alguém vai atrás com ele é que surge a oportunidade dele ficar mais próximo da janela, mas o vidro nunca fica abaixado de forma que ele não consiga colocar a cabeça para fora ou se machucar. Me certifico da segurança e dirijo com cuidado redobrado, seguindo por ruas menos movimentadas e evitando solavancos.

A melhor alternativa seria utilizar uma caixa de contenção ou equipamentos apropriados (já vi em alguns sites umas cadeiras específicas para cães e fivelas próprias, mas não encontro para vender – e testar), porém no momento estou satisfeito. Não me inteirei sobre a legislação de trânsito específica para o transporte de animais, mas os guardas que o vêem sempre acham graça do cãozinho comportado no banco de trás.

Jorge sempre gosta dos passeios e raramente se cansa. Quando isso acontece, ele deita na mantinha sobre o banco e dorme até chegarmos em casa.

240220081390.jpg
Dá tchau Jorge!

27 fevereiro, 2008 at 6:28 pm 3 comentários

fotonovela!

Como nem todas as pessoas acessam/gostam de orkut, vou postar uma história que aconteceu esses dias…
(contém várias imagens – pode demorar um pouco para carregar a página dependendo da sua conexão – tenha paciência)

1.jpg
Oi, eu sou o Jorge e vou contar sobre um passeio que eu fiz…
2.jpg

Essa é a Vera, a Verinha, minha melhor amiga!

3.jpg
– Oi Verinha, tudo bem com você? Já fez cocô e xixi hoje?

4.jpg
– Fiz sim Jorge e você? – Ainda falta o xixi!

5.jpg
– Jorge, vc viu que tem gente olhando?

6.jpg
– Vixe, é mesmo. Humanos chatinhos, o maior calor e a gente aqui parado!

7.jpg
– Jorge, faz alguma coisa!

8.jpg
– Vamos disfarçar Verinha, uma hora a gente sai correndo!

9.jpg
– Jorge, o que ele tá dizendo?

10.jpg
– Tô achando que eles vão ficar enrolando a gente Verinha!

11.jpg
– Tô começando a ficar apurado!

12.jpg
– Verinha vem comigo!

13.jpg
– Aonde vc vai?

14.jpg
– Me segue amiga!

15.jpg
– Tive uma idéia!

16.jpg
– Verinha, corre pra um lado que eu vou pra outro!

17.jpg
– Huhauhauha, consegui fazer xixi finalmente!

18.jpg
– Agora vou fugiiiiiiiiiiiiiiiiiiiirrr…

19.jpg
– Jorge me esperaaaaaaaa!

20.jpg
– Viu quanto corremos? Matamos a moça!

21.jpg
– Será amigo? E agora?

22.jpg
– Ah, deixa ela aí!

23.jpg
Então tá! Vamos embora!
FIM

20 fevereiro, 2008 at 7:53 am Deixe um comentário

passeio!

15012008876.jpgJorge passeia 2 vezes por dia, pontualmente às 7:10 e às 19:10, de segunda à segunda, chova ou faça sol.

7h e 19h é o horário da comidinha (que comentarei outro dia)

Voltando… depois de comer, ele SABE que é hora do passeio. Depois que come, vem me procurar para colocar a guia e sair. Ele senta e fica esperando. Coloco a guia e vamos pro corredor chamar o elevador. Sempre levo ele no colo, porque teve um dia que ele fez xixi bem na porta do elevador (danadinho).15012008877.jpg

Dentro do elevador ele fica afoito. O coraçãozinho vai a mil… Chegamos na porta e ele já se agita para sair do colo e ir pra rua. De lei, a primeira coisa quando chega na rua é o barrão cocozinho. Faz e sai de perto. Daí começa o passeio. Sempre caminho 30 minutos com ele. Nesse tempo ele late para TODOS os cães que encontrar, cheira o chão (fareja) a maior parte do caminho e corre atrás dos passarinhos.

15012008865.jpgEle AMA correr atrás de qualquer papel/folha/pedrinha/passarinho que se mova enquanto estamos caminhando. Fica louco para ir atrás. Eu não deixo, seguro a guia e tento comandar o passeio. Muitas vezes é difícil, Jorge é muito impaciente e empolgado com todas as coisas mas é preciso ter um pulso firme, porque se não vira palhaçada.

Todas as informações que colho sobre adestramento são unânemes em afirmar que quem leva a guia deve ser o comandante do passeio e não o cão. O “” dele me deu vários toques sobre isso também. A guia é a extensão do nosso braço, então uma impertinência é um sinal de contestação ao nosso “comando“. Acredito nisso e tento ao menos sempre levar o Jorge para passear e não ao contrário.
Se não, não tem passeio. 15012008884.jpg

De vez em quando, pelo menos umas 3 vezes por semana, vamos até a garagem do prédio (que fica atrás) e depois de verificar se tudo está fechado e nenhum carro está entrando… solto ele da guia e brinco de pegar. Ele ama.

ps: quando chove, vamos passear na garagem mesmo, ele gosta menos, mas só sair de casa já é ótimo pra ele.

A seguir, Jorge e seus momentos de aventura pela garagem:

15012008885.jpg
15012008886.jpg
15012008882.jpg
15012008881.jpg
15012008878.jpg

milagrosamente consegui pegar o momento em que ele corre… aliás… flutua… lindo neh?!

16 janeiro, 2008 at 6:09 am 1 comentário

Posts antigos


Categorias

Comentários

Elizabeth em alergia!
Cintia Malateaux em alergia!
sonia politz em ANIVERSÁRIO de 3 ANOS!
Natália em melhoras!
Elizabeth em alergia!

Feeds

Visitantes

  • 100,587 pessoas já passaram por aqui